Você sabe quanto ganha um programador?

A área de tecnologia da informação é uma das áreas com mais escassez de profissionais do mercado, o que faz com que seus profissionais sejam altamente valorizados. 

O profissional da programação é peça fundamental para o desenvolvimento de qualquer empresa. Mas você sabe quanto ganha um programador?

O que faz um programador?

Antes de falarmos sobre faixa salarial, é necessário compreender o que significa, afinal, ser programador.

O profissional da programação é responsável por escrever, desenvolver e/ou fazer a manutenção de softwares.

Através da linguagem da programação, ele desenvolve e otimiza programas operacionais, sistemas de empresas, sites, aplicativos, redes sociais, entre outros. 


Mas há quem se engane em pensar que o programador atua apenas com tecnologia.

Sim, a programação é uma profissão da área da tecnologia, mas o programador é necessário em qualquer ramo de atuação, como mercado financeiro, alimentício, vestuário, comunicação, etc.

Por isso, é praticamente impossível pensar no desenvolvimento de qualquer empresa sem a presença do programador para desenvolver e otimizar ferramentas de comunicação interna e externa. 


Alta demanda por profissionais de TI em 2020

Impactado pela pandemia do novo coronavírus, o mercado de TI viu a demanda por serviços de tecnologia aumentar. Foto: Pixabay

Essencial em qualquer mercado, a procura por profissionais de tecnologia da informação cresceu neste ano principalmente por conta da pandemia causada pelo novo coronavírus. 

Segundo levantamento publicado pela Brasscom (Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação), as vagas do setor aumentaram 1,18% em 2020 – cerca de 14 mil postos de trabalho. 

O aumento na quantidade de vagas está diretamente ligado ao isolamento social e a medidas de restrições como o home office, por exemplo.

Com mais pessoas em casa dependendo ainda mais da tecnologia mobile para realizar diversos serviços, a participação do profissional de TI nessa equação foi fundamental para tornar essa transição mais rápida e eficiente.


A importância deste mercado é tanta que o setor representa 6,8% do PIB brasileiro, movimentando R$ 494 milhões por ano.


Na prática, como a programação impacta minha vida? 

Além de ser fundamental nas empresas, sejam elas pequenas ou grandes corporações, boa parte do que fazemos hoje tem participação direta ou indireta de um programador. 

Quer um exemplo?

– Consumir conteúdo por streaming

– Navegar pelo Instagram, Facebook, Twitter ou qualquer outra rede social 

– Pedir comida por aplicativo

– Pagar conta pelo celular 

Essas e outras atividades comuns do nosso dia a dia são desenvolvidas, atualizadas e otimizadas por programadores.

Em outras palavras, o programador participa da criação e do desenvolvimento de qualquer recurso tecnológico. 

Difícil imaginar a era digital sem eles, não é mesmo?

Quanto ganha um programador?

Enquanto a maior parte dos brasileiros ganha, em média, um salário mínimo, profissionais de TI em nível sênior faturam até oito vezes mais. Foto: Nappy

Se você pretende entrar no mercado de tecnologia da informação, saber quanto ganha um programador é algo a ser colocado na balança. 

Como vimos, esse profissional não só é altamente requisitado em qualquer segmento como também é fundamental para a maioria das atividades que realizamos hoje, seja como empresa ou como pessoa física. 

Ou seja: alta demanda + importância da profissão = salários maiores. 

Mas nem tudo é tão simples, especialmente quando falamos de programação. 

Diversos fatores influenciam no salário do programador, como tempo de experiência no mercado, formação, linguagem da programação em que é especializado, região de atuação, entre outros. 

Dessa forma, um programador que desenvolve sites Front-end ou Back-end ganhará mais na cidade de São Paulo do que no interior paulista.

Números oficiais 

Dados do Novo Caged (Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) apontam que o setor de Informação e Comunicação registrou 38.298 admissões durante o mês de outubro deste ano. 

No acumulado do ano, 263.252 admissões foram registradas até outubro. 

Mesmo com tanta demanda, ao mesmo tempo em que há vagas o mercado de TI segue defasado: faltam profissionais qualificados para preenchê-las. 

A Brasscom estima que o setor enfrentará um déficit de mão de obra qualificada de 290 mil funcionários por ano até 2024. 

E o que já parece ruim pode piorar: os números podem chegar a 70 mil profissionais por ano, sendo São Paulo o estado que mais necessita desse setor com uma demanda de 42,9%. 

Tal defasagem não passa despercebida e todas essas dificuldades impactam diretamente no valor das contratações.

Faixas salariais do profissional de programação 

Programador júnior 

O profissional júnior é aquele que acabou de sair da faculdade e não tem nenhuma experiência ou pouca experiência de trabalho na área. 

Isso por si só já faz com que o salário do profissional seja menor. 

O programador júnior ganha entre R$1600 e R$2 mil reais, sendo que o salário pode chegar a R$3 mil para mais. 

Um possível cenário de pré-requisitos:

– Desenvolver websites (Front-end e Back-end)

– Desenvolver ferramentas para web, desktops e aplicativos

– Entender de programação Delphi e desenvolvimento Java 

– Conhecimentos em UX, UI, SQL, Oracle e HTML5

– Inglês intermediário

Pleno

Após trabalhar na área por dois ou três anos o programador já pode se considerar um profissional pleno. 

Geralmente, a faixa salarial já começa na casa dos R$5 mil (se você é programador pleno não aceite menos que isso!) e pode chegar a R$8 mil e R$10 mil. 

Um possível cenário de requisitos:

– Linguagens de programação Java (J2SE e J2EE), HTML, JavaScript, jQuery, Servlets, JSP e Annotation 

– Domínio de sistemas operacionais Windows e Linux 

– Banco de dados Oracle, SQL Server e MYSQL

– Domínio de softwares e ferramentas de desenvolvimento como Microsoft Office, Microsoft Visio, Microsoft Project, SQL Developer (Oracle), MYSQL Query Browser, entre outros 

– Inglês intermediário ou fluente

Sênior 

O programador se torna sênior após cinco ou seis anos trabalhando na área. 

Com todo esse tempo de estrada, a experiência é maior e os requisitos esperados também, sendo um possível cenário: 

– Domínio da linguagem JavaScript, Node.JS, Laravel e PHP

– Domínio de CSS, HTML e semântica 

– Domínio de ferramentas para automatização Webpack, gulp e outros 

– Domínio de ferramentas para pré-processadores como Sass, babel, etc.

– Experiência com desenvolvimento, testes e documentação de APIs REST 

– Experiência com Node.js e APIs de redes sociais 

Fique atento 

Quer se aventurar pelo mundo da programação e ainda não sabe por onde começar?

Se você acha que a tecnologia da informação ainda tem um longo caminho a percorrer em questões de acessibilidade e diversidade, entre em nosso site e conheça nossa iniciativa de aceleração de pessoas em situação de vulnerabilidade. 

Veja algumas das possibilidades que a {Parças}™ pode gerar para você:

Encomendar Bootcamp | Abundância de Propósito

Inscrição Bootcamp CYBER| Quebrada

Inscrição Bootcamp PRO| Ressocialização

Processo Seletivo p/ E-commerce | Loja Virtual 

Mentor(a) Voluntário de Desenvolvimento Técnico  

Mentor(a) Voluntário de Inteligência Emocional

Tiete Cyber| Quebrada